terça-feira, 4 de junho de 2013

Negro, aprenda como se comportar diante de um branco

Todos os dias, milhares de brancos são assaltados e agredidos impunemente nas ruas do Brasil, e as estatísticas mostram claramente que a maioria desses crimes são cometidos por negros e mestiços.

Infelizmente, as autoridades brasileiras não fazem nada para remediar a situação, e vítimas brancas são obrigadas a conviver com essa realidade diária de violência.

Você, negro, que está lendo esse texto, pode achar que não tem culpa disso, mas precisa reconhecer que numa sociedade onde os brancos sofrem esse tipo de agressão diariamente, eles têm plena razão de ficar desconfiados de você. Então é melhor você seguir essas dicas de comportamento quando estiver perto de um:


Na rua
Não aborde um branco desnecessariamente. Se estiverem andando na mesma direção, procure manter uma distância saudável e não ameaçadora. Se estiverem andando de encontro, mova-se para o lado e dê espaço para ele passar.

No café
Preste atenção no que o branco está fazendo. Ele está lendo ou ocupado com alguma coisa, não o interrompa, ou você estará sendo nojento. Se notar que ele está desviando os olhos de você, provavelmente sua presença está sendo ameaçadora, tente se afastar um pouco para não constrangê-lo.

No transporte público
Lembre-se que brancos lidam com assédio e violência o tempo todo nesses ambientes, e estão mais que certos de desconfiar de você. Não sente perto de um branco se houverem outros lugares disponíveis, isso é muito invasivo. Não dirija a palavra a ele, exceto se ele falar com você primeiro. Pra falar a verdade, o governo deveria criar transportes públicos exclusivos para brancos pra evitar esse problema.

Na delegacia
Se você é policial, tenha consciência que negros e mestiços como você são a grande maioria dos casos de agressão e violência. Chame um colega branco para atender a vítima, ela não precisa de passar pela humilhação de ser atendida por um policial negro igual ao seu agressor.







[ALERTA DE SARCASMO]
Achou esse texto nojentamente discriminador? É porque é mesmo!
Nojento, discriminador, intolerável. Qualquer pessoa que escrevesse uma coisa dessas (e estivesse falando sério) seria nada menos que um racista odioso.
E qual a função desse texto?  Mostrar como feministas têm carta branca para serem tão odiosas e discriminadoras quanto quiserem contra os homens, e ainda se auto-intitularem "defensoras da igualdade". Caso não tenha ficado óbvio, releia esse texto substituindo "negro" e "branco" por "homem" e "mulher", respectivamente, e pense em como é completamente normal e rotineiro ver textos assim escritos por feministas.






61 comentários:

  1. Muito bom o texto... pior que o femimiminismo atual é isso mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Ô, tudo a ver a analogia, o modo como as mulheres sofrem violência dos homens na sociedade tem *tudo* a ver com como brancos 'sofrem' nas mãos da população negra! Que tal agora uma analogia entre dicas de como se no seu 1o encontro e dicas pra como um escravo deve tratar o seu senhor? Precisamos denunciar isso aí também! E comparar dicas para pais criarem filhos com as tarefas em um campo de concentração? Precisamos denunciar os horrores que o homem moderno enfrenta!

    ResponderExcluir
  3. Affff, ridiculo essa comparaçao cara

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente a mulher tem esse direito, de nao te querer perto dela. foda-se

    ResponderExcluir
  5. Renato Santos Diniz4 de junho de 2013 10:08

    Achei o texto muito engraçado e criativo, valeu a crítica. Mas acho que a
    comparação com as mulheres foi um pouco equivocada. São situações muito
    diferentes, Mas a forma como as feministas falam dos homens às vezes chega a ser repulsiva.

    Em todo caso, é muito bom ver pessoas levantando críticas bem-humoradas e de forma inteligente!

    ResponderExcluir
  6. Se a mulher é realmente feminista (e não femista), ela não acha que todos são os homens porcos estupradores, muito pelo contrário.

    ResponderExcluir
  7. Guilherme tirou as palavras da minha 'boca'.
    A sociedade ainda é patriarcal e machista, vide esse texto completamente sem noção.
    Nenhuma feminista (que realmente luta pela causa FEMINISTA) pensa de tal forma.
    Eu não tenho problema com homens perto de mim, muito pelo contrário!
    E, aliás, Não dá nem pra comparar o trauma psicologico de um assalto com o de um estupro. Eu só tenho um medo (racional) quando sou assediada verbalmente por homens desconhecidos na rua, algo que é considerado totalmente normal hoje em dia. Buzinar e chamar de 'gostosa', 'delicia', 'te chupo todinha'... isso é pra ser considerado um ELOGIO. Ah, pelo amor de deus. E ainda falam que a causa feminista não tem motivo...

    ResponderExcluir
  8. cara você é idiota? o texto é SARCASTICO, para criticar a atitutes desses que pensam como você. Chamar o movimento feminista de "femimiminismo" é pura ignorância.

    ResponderExcluir
  9. Nathalia parabéns pelo o que você disse!!! Considerar isso um elogio?

    ResponderExcluir
  10. Agente precisa aprender a respeitar nossas mulheres...sohhh

    ResponderExcluir
  11. Thiago Nascimento4 de junho de 2013 14:32

    Acredito que a sua base para escrever esse texto, além de concepções suas sobre o Feminismo, seja esse outro texto aqui: http://blogueirasfeministas.com/2013/03/como-abordar-mulheres-sem-ser-nojento/ (Texto de Madeleine Davies. Tradução de Iara Paiva, publicado originalmente em Jezebel.com).
    Um texto muito bom, aliás!
    Um texto que, por exemplo, NÃO propõe um "apartheid" em transportes públicos... Se em algum momento nos deparamos com uma proposta de vagões separados de metrô para mulheres é por que há um sério problema de mobilidade urbana (leia-se metrôs e ônibus muito mais do que lotados) que SOMADO ao machismo reinante em nossa sociedade leva a abusos e mesmo a vários casos de estupro.
    O Feminismo, por mais diversas correntes que tenha, é sempre assim identificado por ser uma tendência ou movimento à luta pela IGUALDADE HUMANA. E se chama "feminismo" e não "humanismo" por que identificou-se que até o momento a balança social está pendendo para os homens - que batem, estupram, e têm privilégios materiais e morais em nossa sociedade. A ideia, então, é IGUALAR a balança. Qualquer movimento no sentido de descriminar homens, preteri-los, poderá ser chamado, mais corretamente, de FEMISMO - e se um dia quiser criticá-lo, farei coro contigo.
    Escrever um texto assim é escrever uma analogia na qual inverte-se O OPRIMIDO.
    Como aliás é o que ocorre na "analogia" descrita, com os negros.
    Dentre aqueles que cometem crimes contra a classe média nós TALVEZ (não tenho números) tenhamos mais negros (e note que eu inclui aqui apenas crimes urbanos contra a classe média - deixei de lado os crimes cometidos por banqueiros, políticos corruptos, fraudes em licitações, sonegações de impostos etc, que atingem a TODOS, sobretudo os mais pobres, e são tão ou mais graves que um assalto a mão armada, ainda mais pelo pouco holofote que nossa mídia e nosso sistema penal lhes reserva).
    Eu não sei o que você vê nisso. Eu vejo um resultado de apartheid social velado (velado?), onde a Polícia presume o negro criminoso, o mercado de trabalho formal lhes fecha as portas (seja não admitindo, seja com o "você podia deixar o cabelo 'bom' pra vir trabalhar"), a universidade pública ainda é difícil de se entrar e um LONGO etc. - além da própria seletividade do sistema penal.
    Em suma, uma vez mais, há uma inversão da figura do opressor pela do oprimido, em nome de um humor ao melhor estilo Rafinha Bastos.

    ResponderExcluir
  12. Também quero ser oprimido, me aposentando mais cedo, não tendo que ir para guerras, sofrendo penas menores se cometer o mesmo crime que outra pessoa, etc.

    ResponderExcluir
  13. Um-mulheres não têm pena menor por ser mulher. É altamente inconstitucional. Dois- nem homens, nem mulheres devem ir à guerra. É a coisa mais irracional que o ser humano já inventou. Mas como o ser humano é besta e guerras vivem pipocando por aí, vamos considerar por alguns momentos. O fato de o homem ser o contigente máximo dos exércitoa deriva do patriarcalismo. As mulheres responsaveis pela manutenção da casa e filhos e os homens pela proteção e sustento. Se os papéis se invertessem, a mulher que iria à guerra. Então, a sua argumentação é falaciosa, já que não é algo que decidimos. E só para título de conhecimento, as verdadeiras feministas cobram igualdade no alistamento. Três- se você começasse a ler mais e largasse o senso comum, descobriria que mais de dois terço das mulheres trabalhadoras fazem dupla jornada: trabalham em média 8 horas no emprego e mais 4 ou 5 horas de trabalho doméstico. È baseado nesse entendimento( a mulher tende a ter dois trabalhos) é que a Previdência decidiu diminuir 5 anos. Mas, de acordo com alguns estudiosos, esse fato irá mudar aos poucos, pois há a maior presença dos homens no trabalho doméstico.

    ResponderExcluir
  14. Nada a ver comparar negros (minoria política) com homens (maioria política). Nada a ver comparar as agressões que as mulheres sofrem ao preconceito que os brancos tem em relação aos negros. Apesar do sarcasmo, o seu texto é racista sim. Porque você presume que brancos são agredidos por negros assim como as mulheres são agredidas pelos homens. Nunca vi um texto feminista falar mal de abordagens corriqueiras, mas de cantadas e intimidações (que são sim terrivelmente suportadas pelas mulheres desde antes da puberdade até a maturidade).


    Eu realmente espero que você saia de seu mundinho classe média sofre e vá viver a vida.

    ResponderExcluir
  15. Ou vai toma no seu cu, seu ridículo!

    ResponderExcluir
  16. Sim, mulheres recebem em média penas 40% menores que os homens pelo mesmo crime. Mas obviamente o feminismo não se importa com isso.

    ResponderExcluir
  17. Leia a porra do texto todo!!!!! que merda cara isso é preguiça de ler?

    ResponderExcluir
  18. CAMBADA DE IGNORANTE''


    ''Feminismo é um movimento social, filosófico e político que tem como meta direitos equânimes e uma vivência humana liberta de padrões opressores''



    ''FEMINISMO'' é uma luta constante de ''IGUALDADE '', Não só com mulheres, como todo ser humano. E Essa comparação realmente foi ridícula. Estupro é coisa seria, agressão é coisa seria. Somos a favor do casamento igualitário, a favor que o HOMEM TBM TENHA DIREITO A LICENÇA MATERNIDADE, a favor de varias outras causas, são é assim como vcs (*Comentaristas de plantão) estão retratando.
    E vcs tbm costumam a tratar mulheres com muito desrespeitos, e nós , tanto homens, como mulheres, queremos nosso direito de querer ter respeito, ter direito em escolher nossa opção sexual sem represália, e muito mais.
    Vms estudar um pouco,abrir os olhos para o mundo, e parar de falar tanta bobagem.

    ResponderExcluir
  19. Cara, o texto é bom, mas um monte de gente não entendeu, ou entendeu o que quis. Me corrija (o autor) se estiver errado.

    1 - Você não foi contra qualquer manifestação feminina ou feminista. Ou seja, não menosprezou os problemas delas, ou coisa do tipo, que estão te acusando.

    2 - Você foi contra algumas feministas (amigos meus chamam estas de "femistas", em analogia aos "machistas") que:

    2.1 - ...Acham que todo homem é potencialmente um abusador/estuprador. (E sim, eu já vi isso em muitos lugares da internet, e já vi também feministas com mais inteligencia que a maioria refutarem esse pensamento, com sabedoria).

    2.2 - ...Acham que toda abordagem masculina é sinal de um potencial perigo. (E sim, também já vi isso em muitos lugares da internet, e também já vi feministas mais sábias criticando essa postura). E é impressionante que estas só não se sentem "ofendidas" pelo abordador quando o abordador bate com sua percepção de cara gostoso/interessante (porque elas claramente criticam abordagens de uns quando valorizam as mesmas abordagens de outros... coisa que é sabida pra maioria dos homens, aliás).

    De novo, nem eu nem você estamos falando que todas as mulheres são assim, nem que todas as feministas são assim. Mas que há muitas feminazistas assim por ai, há. E por isso elogio o seu texto.

    Dai pra frente a galera colocou suas próprias visões e problemas na discussão, porque o texto só falou sobre esses pontos.

    Sobre o transporte público exclusivo para mulheres: Resolver o problema melhorando o transporte público (mais ônibus, mais metrô, para todos) seria uma solução muito mais sábia, digna, e respeitável a todos, do que separar vagões e ônibus só para mulheres. Isso trata os homens generalizando-os, ignora o movimento GLS, e trata o problema do transporte como se fosse um problema apenas feminino. E tem todas as características de um apartheid, que ao invés de melhorar o comportamento de todos, só piora, e reforça os preconceitos, comportamentos ruins, e a falta de diálogo.

    Sobre o que disseram que um estupro é pior que um assalto. Certamente. Mas o texto fala sobre abusos e agressões, no sentido genérico, e não dá a entender que se refere também à situações piores como estupro, assassinato, tortura. A referência nos comentários ao estupro me parece novamente a fixação de ALGUMAS "femistas" ao pensamento de que toda abordagem é um potencial estupro, que todo homem é um potencial estuprador. Há propósito, "homens" também "podem" ("potencialmente") estuprar outros homens e crianças. Assim como qualquer um pode, potencialmente, ser um assassino ou um torturador (homens e mulheres).

    E, sobre isso ainda, um mal só é tão ruim pra alguém quanto o pior mal que ele conhece. Eu nunca fui estuprado, mas também nunca fui assaltado (não que não tenham tentado me roubar), e por isso não temo nenhum, nem outro. Mas sei que vítimas de qualquer uma dessas agressões (de roubos à estupros e torturas prolongadas) temem essas coisas enormemente, e só conseguem estabelecer que "tal coisa é melhor que a outra" se a mesma pessoa viver várias dessas coisas. Não dá para comparar esse tipo de coisa, pessoal, nem pra dizer que é a mesma coisa, nem pra dizer que não é, e não foi isso que o autor fez, mas é o que estão achando que ele fez nos comentários.

    ResponderExcluir
  20. Eu acho que as pessoas que criticaram seu comentário não entenderam o texto, ou entenderam como bem desejaram.
    Dizer que há um femimimimismo não é o mesmo dizer que todo feminismo é um femimimimismo pessoal.
    Parem de achar inimigos por todo lugar.

    ResponderExcluir
  21. humorada Renato tem certeza, vc acha engraçado usar de um preconceito contra outro bem se ver por isso q os brancos dizem q os próprios negros são racistas de si mesmo ou vc pensa q é branco? para de assistir televisão vc estar ficando menos inteligente.

    ResponderExcluir
  22. se vcs homens acham ruim a maneia como a mulher os vem mudem suas atitudes cada uma pela primeira vez na vida o homem branco vai ter q lutar por alguma coisa hahahha q ironia e justo por causa de nós mulheres.e para ver como é bom .

    ResponderExcluir
  23. se vcs homens acham ruim a maneia como a mulher os vem mudem suas atitudes cada uma pela primeira vez na vida o homem branco vai ter q lutar por alguma coisa hahahha q ironia e justo por causa de nós mulheres.e para ver como é bom .

    ResponderExcluir
  24. vcs homens sempre acostumados a não lutarem por porra nenhuma só sabem reclamar

    ResponderExcluir
  25. Parabéns ao dono do site/post conseguiu bastante comentários e buzz.

    ResponderExcluir
  26. Sim, não lutamos por porra nenhuma. Apenas as mulheres lutaram nas guerras motivadas por religiões, guerras mundiais, etc.


    OBS : Estou sendo irônico.

    ResponderExcluir
  27. Renato Santos Diniz6 de junho de 2013 07:00

    Antes de insinuar algo sobre a inteligência alheia, APRENDA A ESCREVER DIREITO, CARALHO.

    Não penso que sou branco, nem negro, nem índio, nem extraterrestre. Sou um ser humano. Achei o texto engraçado. Me deu vontade de rir. Me fez refletir. Mas o senso de humor é sinal de inteligência, então... não posso culpá-la de não ter visto graça no texto.

    E existem negros racistas sim... outro dia mesmo um negro filho da puta veio me chamar de escravo só porque eu trabalho numa boa empresa e ele não...

    ResponderExcluir
  28. Renato Santos Diniz6 de junho de 2013 07:03

    Feminismo só é considerado um movimento IGUALITÁRIO quando convém a vocês... cada hora vocês mudam o discurso, de acordo com a situação.

    ResponderExcluir
  29. Não é assim que se conversa. Se você é feminista já deve ter ouvido esse argumento milhares de vezes. Devia ter aprendido a não usar.

    ResponderExcluir
  30. Imagina, seria legal pra kct um forum do Pesadelo.net....

    ResponderExcluir
  31. eu nunca vi ninguém falando tanta merda na minha vida puta que pariu. "Tão odiosas e discriminadoras" ah claro tadinhos dos homens que foram oprimidos por toda a vida deles que não podem sair com a roupa que querem na rua porque estão "pedindo pra ser estuprados" e que acham ajudar nas tarefas da casa é "opressão" que gay não pode casar mais lésbica pode.Que mulher que pega muitos homens é piranha,mas homem pode pegar o triplo e é garanhão.E acha que "Mulher tem que se dar o respeito" mas fica louco quando vê foto da menina com decote.Estude o que é feminismo e pare de hipocrisia e falar merda.É só dar uma rápida olhada a sua volta e ver como as mulheres ainda são oprimidas

    ResponderExcluir
  32. Cara... patética analogia. Nao sei nem por onde comecar...

    1) Abordar pessoas na rua do nada assustan qualquer pessoa, homem, mulher, branco, negro, etc etc

    2) Nao sei nem o que escrever. Se eu estou sozinha no meu canto LENDO UM LIVRO eu obviamente nao quero conversar com ninguem. NINGUEM.

    3) Se tiver outro lugar disponivel que nao é do lado de uma pessoa qualquer, eu sempre pego a dupla de bancas que nao tem ninguém... achei que isso era óbvio...

    4) Esse aqui nao tenho nem palavras. Nao da pra vc entender a diferenca entre violencia sexual e um ASSALTO. nossa realmente é a MESMA COISA, o mesmo tipo de trauma.



    SÓ QUE NAO.


    Meu filho, se vc se sente vitimizado, foda-se. Vc é, obviamente, um grande babaca com um cérebro do tamanho deum grao de arroz.

    ResponderExcluir
  33. Ai clarion, vc não me conhece , mas sou um blogueiro conterrâneo seu de Minas. gostaria que vc me permitisse publicar em meu blog obviamente com seu nome a artigo do pesadelo.net, "negro apreenda a se comportar como um branco" abraço...teh masis

    ResponderExcluir
  34. bom ,voce provavelmente nao sabe muito o que é feminismo ,e fez uma analogia completamente furada ,por inverter a ralaçao de injustiças entre brancos e negros ,tentando mostrar o quanto é odioso o ponto de vista feminista,mas eu observei dois erros megalíticos (sem falar os outros erros que provavelmente há),o primeiro: voce parece que esqueceu que mulheres junto com os negros,também sao minorias ,ou seja ,é um grupo oprimido ,deu a impressao que as mulheres(mas especificamente feministas)sao opressoras , quando elas sao justamente oprimidas,voce botou os negros nesse grupo ,mas parece que negou as mulheres nele.e segundo:onde feministas sao odiosas e discriminadoras assim que eu nunca vi ,voce conhece alguma feminista?já conversou com alguma? eu nem nego que exista algumas assim ,existe louco para tudo no mundo. mas o que o feminismo ataca nao é o homem ,e sim uma serie de padroes de masculinidade que faz o homem ser violento nao o homem .e outra constatar que a maioria dos crimes sao cometidos por homens nao é o mesmo que falar que eles sao diabolicos ou ,assassinos por natureza ,é a mesma coisas que falar ,por exemplo que no brasil se mata bem mais que no japao ,entao o brasileiro é logo um assassino,nao. por motivos externos ,nao inatos, o brasileiro mata mais .é a mesma coisa no feminismo .sem falar ,que mulheres feministas sao menos preconceituosas em relaçao a homens do que mulheres nao feministas(eu poderia explicar,porque ,mas vai tomar muito tempo).ou seja, seu ponto de vista sobre o movimento e suas propostas nem chegou a bater na trave ,mas a centenas de metros.da trave ,esse feminismo que voce citou ,nem existe.

    obs:o simples fato de os homens serem o grupo privilegiado ,nao significa que nao existe alguns problemas em relaçao a eles ,existe . e que também todo tipo de opressao do genero advém deles .os conceitos e as simbologias da ideia do genero quase sempre ,eleva o homem ,mas mulheres também podem reproduzir esses conceitos.

    ResponderExcluir
  35. É muita raiva contra nós feministas... Armaria... Te odeio não ;)
    É que estamos apenas tentando reverter situações de violência REAIS contra as mulheres, por isso da delegacia da mulher, por isso do receio ao andar na rua, do constrangimento no café, do medo do assédio no ônibus. Mas isso tudo você sabe, tenho certeza que feministas muito mais articuladas do que eu já te disseram isso ou tentaram te explicar de alguma forma. Se ainda assim você optou por desancar o movimento, parabéns, você fez a sua escolha, triste, em minha opnião, porque seu discurso se alinha muito bem à misoginia que tanto combato.
    E claro, Guilherme Balan, sempre maravilhoso!

    ResponderExcluir
  36. Fernanda Fibla Morellato30 de junho de 2013 15:13

    Não, isso é somente falta de informação da sua parte, colega. Nenhum FEMINISTA muda de discurso. Agora, se você não se dá ao trabalho de separar MISOGINIA de FEMINISMO, cara, o problema é todo seu. O Feminismo é um movimento igualitário que convém a todos, homens e mulheres, sejam eles negros, asiáticos, latinos ou brancos, héteros, homossexuais, bissexuais ou transsexuais, pobres ou ricos, enfim, a todos nós. Incrível como já postaram textos muito bons com uma gama de informações variadas e você não se deu ao trabalho de ler. Uma pena.

    ResponderExcluir
  37. Renato Santos Diniz2 de julho de 2013 10:40

    Misoginia? Acho que você quis dizer misandria, não?

    Eu não vou perder o meu tempo discutindo se o feminismo é bom ou não. Se quiser conhecer melhor meu ponto de vista, leia meu texto:

    http://psiconautica.wordpress.com/2013/05/26/hipocrisismo/

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  38. Gente, o feminismo não se importa com o que o Clarion se importa :(. Cara que mancada to muito chateado com essas mulher!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  39. Victor,

    1o que aposto que você não foi pra guerra, e quem foi nos últimos anos tinha isso como um emprego bem pago. Quando homens eram obrigados a ir pra guerra, mulheres ou nem podiam votar, ou precisavam de autorização do marido pra trabalhar (isso acabou só em 1962, sabia?). Segundo de duvido que você trocaria se aposentar 5 anos mais cedo por ter uma carreira pior, salario pior e o peso do trabalho doméstico nas costas (sem falar na pressão social pra parir e virar cuidadora de bebê full time). Depois que, se você pretende cometer um crime, você não é uma boa pessoa, rs.

    Resumindo: vc não tem prejuízo nenhum, querido :(, suas justificações são erradas, e você está carregando senso comum machista adiante na sua vida... Liberte-se, menino.

    um abraço!

    ResponderExcluir
  40. Pros babacas que estão criticando o texto. Uma feminista que o fez e fez exatamente da forma como o autor desse texto criticou.

    http://blogueirasfeministas.com/2013/03/como-abordar-mulheres-sem-ser-nojento/

    ResponderExcluir
  41. horrível, horrível esse texto. Esse tipo de assunto deve ser tratado de forma direta, é das piores coisas que já li na minha vida com pretensão de ser inteligente(!), seria melhor é tirar esse lixo da internet, isso me parece de um facismo disfarçado que a psicanálise deve explicar.

    ResponderExcluir
  42. Renata e Júlio... vcs têm um péssimo problema de interpretação... releiam o texto... sério

    ResponderExcluir
  43. Faltou apenas dizer a fonte do texto original:

    http://blogueirasfeministas.com/2013/03/como-abordar-mulheres-sem-ser-nojento/



    O teor é bem esse mesmo.

    ResponderExcluir
  44. Minha cara, acho que foi VOCÊ q não entendeu!

    ResponderExcluir
  45. o Feminismo propõe a igualdade entre gêneros, logo, se opõe também a ida de apenas homens às guerras.

    ResponderExcluir
  46. Nossa, parabéns, vocês, HOMENS HONRADOS, mataram milhares de inocentes em diversas guerras.
    Você quer seu prêmio em dinheiro?

    ResponderExcluir
  47. A analogia pode fazer sentido na teoria, mas não na prática. As mulheres são muito mais frágeis e fracas (fisicamente) do que o homem, o que torna a violência muito mais fácil de ser praticada do que entre um homem branco e um homem negro. Vale a reflexão, mas não se pode levar essa analogia ao pé da letra.

    ResponderExcluir
  48. Fernanda nem perca seu tempo discutindo com esse pessoal.

    ResponderExcluir
  49. O texto é horrível. Foi absolutamente desnecessário.

    ResponderExcluir
  50. Ah, tá me zoando... Com certeza vc não sabe o que é ser escolhida para um assalto ou estupro por está sozinha, ou ser assediada verbalmente e fisicamente com 11 anos a caminho da escola, ficar bêbada e alguém se aproveitar de vc e ainda ter que engolir que vc tava querendo, né? Eu tenho que concordar que o feminismo pode extrapolar às vezes, muito por motivos pessoais. na minha opinião, a pessoa está puta com alguém específico, com uma situação que sofreu específica, e acaba descontando a sua raiva no movimento. tá errado? não tá, mas eu nunca aderi a esse movimento muito por ele estar meio perdido. E SIM, concordo com (quase) todas as questões que o movimento feminista/marcha das vadias aborda. na época dos colonos, estes diziam que os negros eram inferiores, e, mesmo negando direitos de trabalho e outros, após o término da escravatura, e culpavam-nos por não conseguirem sair da miséria, e que eles faziam um favor a eles dando trabalho assalariado. Talvez você nunca venha a ser alguém, na vida, mas se por um acaso entrar em algum cargo superior de uma grande empresa, que faz negócio com outros países, ou mesmo viajar pelo mundo, verá que, diferente do que pensam, o Brasil tem alto preconceito com mulheres e ultrapassa até países da Ásia e África. Faz o seguinte, amigo, bate punheta só! Pra sempre! Que tal? E pensando em você próprio porque você se merece!

    ResponderExcluir
  51. 1) Não, homens não podem se vestir como eles quiserem. Homem "bem-vestido" é de terno e gravata. Se se vestir de qualquer outra forma ou é "moleque" ou é gay. Além de que homens com cabelos grandes, brincos chamativos, entre outras características, ou são considerados vagabundos ou também são considerados gays (representações de femismo e/ou homofobia).

    2) Se tarefas de casa não fossem um fardo, o feminismo não colocaria sua divisão em pauta. Minha opinião: os homens no geral são preguiçosos sim em relação à tarefas de casa, mas tem muita mulher que também não faz nenhuma tarefa de casa, por ser "mimada" de infância a ter sempre alguém fazendo por elas, o que caracteriza um peso maior de padrões socioeconômicos do que de gênero.

    3) Nunca vi quem apoiasse casamento de lésbicas e fosse contra casamento gay... Mas conheço homens que gostam de ver mulheres se pegando. É um fetiche comum aparentemente, mas que não necessariamente implica em preconceito contra gays, já que, afinal, vc não gostar de alguma coisa não significa odiá-la, são dois contínuos diferentes.

    4) No meu ponto de vista, tanto homem quanto mulher não deviam sair pegando geral. Pela visão mais geral, homem que pega um monte de mulher é considerado homem de pegar e não de ter relacionamentos sérios, embora as mulheres serem treinadas para gostar desse tipo de homem e os homens serem treinados para serem esse tipo de pessoa (afinal, quem não vai querer trepar com um monte de gente, né? [ironia, para que fique claro]).

    5) Sim, homens gostam de ver decotes, mas como no caso anterior, mulher que não sai mostrando tudo é mulher de relacionamentos, enquanto a do decote é mulher de "pegar". Minha opinião sobre isso já está aí.

    Quero acrescentar que sim, os homens são oprimidos também. Porém, ocupam uma posição de vantagem, já que os atributos atribuídos a eles são os que TODA a sociedade venera (em suma, aspectos relacionados à conquista sexual e social de poder). Entretanto, por ser as características femininas menos valorizadas, inclusive por algumas dissidências feministas, ninguém se importa dos homens não poderem chorar, não poderem amar, não poderem gostar de uma pessoa, não querem sexo, não aprender a expressar suas emoções, entre outros. Vai um homem querer ficar só com sua esposa/namorada, amar seus amigos, falar sobre sentimentos, dizer que não está a fim de sexo e ter um visual não "de macho". São perdas que não são valorizadas na nossa sociedade e que tem efeitos péssimos em termos desenvolvimentais, expresso em um maior número de homens com casos de histeria e de psicose.

    Enfim, sim, um dos meus pontos de vista são sexistas sim, machistas mais propriamente. Mas tento mudar meu ponto de vista, não desconsiderando o ponto de vista dos outros e admito que meu ponto de vista é enviesado (afinal, nascemos nesse meio e TODOS temos os nossos vieses). Sim, as mulheres estão numa posição inferior socialmente, mas emocionalmente e "humanamente" elas estão muito melhor do que os homens, o que reflete, por exemplo, na discrepância entre a taxa de mortalidade entre homens e mulheres (os homens morrem muito mais e muito mais novos do que as mulheres). Só quero concluir que essa é uma argumentação tentando ser saudável e se vc se ofendeu com oq leu, não foi a intenção. Tente apenas rebater tudo que argumentei sem argumentos ad hominem que não acrescentam nada à discussão :]

    Pax et lux!

    ResponderExcluir
  52. 1) Só se vc espera que as pessoas que te abordem vão lhe causar algum dano. Aí ou vc tem problemas passados com isso, ou vc tem alguma fobia.

    2) Também não gosto que venham falar comigo quando estou lendo um livro, mas foi apenas um exemplo que o autor usou.

    3) Muitas pessoas realmente fazem isso... Agora eu lhe pergunto "Por quê?"

    4) Sim e não. O consenso geral é de que violência sexual é um extremo de violência, o que faz o fato ser muito pior para alguém que passa por essa situação. Mas uma pessoa que nunca foi assaltada pode ficar igualmente traumatizada por um assalto, ao ponto de não sair de ksa e não confiar em mais ninguém. Além disso, só pq os números divulgados de estupros masculinos seja pequeno, não quer dizer que eles realmente aconteçam pouco, além de que homens sofrem muito mais homicídios do que mulheres. E ainda mais, pesquisas mostram que pessoas que sofrem violência sexual têm maior probabilidade de desenvolver resiliência do que pessoas que sofrem assalto (provavelmente, pelo peso emocional maior EM MÉDIA que esse tipo de situação causa). Ou seja, pessoas que sofrem abuso sexual tem maior probabilidade de seguir adiante do que pessoas que foram assaltadas, mesmo sendo um trauma "menor".

    "Meu filho, se vc se sente vitimizado, foda-se." Inverta, em nível de gênero, sua fala e veja como soa. Se o cara se sente vitimizado ele deve ter um bom motivo. No lugar de simplesmente pisar nele, pq vc não tenta entender e, se for o caso, ensiná-lo?

    Abç

    ResponderExcluir
  53. O cara mandou bola fora nesse texto, embora ele tivesse um ponto interessante que é realmente pouco discutido, mas esse texto aí do link... pqp. A ideia central é até legall, mas a argumentação é cheia de estereótipos femistas que faz os homens parecerem imbecis... Lamentável, poderia ter usado o espaço para falar de maneira séria e ter levantado uma discussão saudável...

    ResponderExcluir
  54. Sim, nesse ponto eu super concordo, nem tem porque discordar, só se eu fosse suicida! Mas O lance de igualdade no meu ponto é que, se mulher "não pode" ser indecente, homem também não pode, não pode ser normal um cara andar sem camisa na rua e cabô! E é claro que o contrário também, principalmente no tocante à vida pessoal de cada um, se é "bonito" o homem "pegar" um monte de mulher, porque é que tem que ser tão feio mulher fazer a mesma coisa? Igualdade é isso, cada um poder exercer a sua liberdade da forma como quer. Eu escolhi casar, ser de um homem só, porque penso que isso é o melhor pra mim, mas de forma alguma critico qualquer uma que (me deixando dormir de madrugada) se comporte de forma mais liberal.

    ResponderExcluir
  55. Disse isso porque não se pode ver uma moça de short curto, que o cara julga que é fácil pegar. Por isso ele se sente no direito de falar essa coisas horríveis que a Natália citou. Aliás, eu ando toda coberta, mesmo no maior calor e ainda sou obrigada a ouvir esses impropérios. Na oportunidade que eu tive, dei uma camaçada de pau no camarada pra ver se UM aprende que respeito todo mundo gosta.

    ResponderExcluir
  56. Guerras de homens neh, nunca perguntaram a opinião das mulheres pra fazer nenhuma dessa guerras idiotas.

    ResponderExcluir
  57. Fora que quando uma mulher quer ter filhos, ela ainda se sente obrigada a largar o filho numa creche com 6 meses e trabalhar, mesmo quando (se a mulher é casada, claro) dá pra dar um jeito e poder de escolha pra mãe voltar a trabalhar quando se sentir mais segura. Meu filho vai fazer 4 anos e todo mundo, esse tempo todo, me pressiona pra por ele nessas escolas nojentas e sair trabalhar, estudar, ter uma carreira, nunca perguntaram se isso realmente me fazia falta.

    ResponderExcluir
  58. Mandou muito bem neste texto. Enquanto lia pensava: "quem é louco de escrever um troço destes?" até chegar no final. Ótima idéia, parabéns!

    ResponderExcluir
  59. cacacacacacdydydydydygo17 de outubro de 2013 17:31

    o femimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimilinismo e uma femimimimimimimimimimimimimimimilidade femimimimimimimimimilial

    ResponderExcluir
  60. O feminazismo e suas asneiras não enganam ninguém.

    ResponderExcluir
  61. ridiculo esse seu ponto medilcre de vista que diser que negros são capetinha e brancos os anjim fique sabendo DEUS nos ama tambem nos negros somos bons o povo que nos rejeita

    ResponderExcluir