quarta-feira, 25 de maio de 2011

Os quatro estágios do ateu enrustido

Ser ateísta hoje em dia é um fardo difícil de carregar... o ateu é uma das últimas minorias contra a qual o preconceito é praticado de forma aberta e impune. Por isso mesmo, é normal que muitas pessoas tentem esconder o próprio ateísmo para serem socialmente aceitas, às vezes chegando ao extremo de enganar a si mesmos.

Do mesmo jeito que acontecia com os gays algum tempo atrás, essas pessoas correm o risco de passar a vida inteira se enganando e se iludindo, sem nunca criar coragem pra "sair do armário".


E você? Também é um ateu enrustido?
Confira agora os quatro estágios da transformação de crente fervoroso para ateu convicto.

domingo, 22 de maio de 2011

A verdadeira prova de que você está ficando velho!

Você já recebeu aqueles emails superdivertidos sobre como você está ficando velho e se impressionou com ele? Ficou realmente assustado quando se lembrou que Thundercats, Caverna do Dragão e Comandos em Ação são sinais que a sua geração já ficou pra trás?

Pois prepare-se, pois isso não é nada. Prepare-se para a triste verdade - você pode estar passando um atestado de velhice diariamente, sem perceber, durante as suas resmungações  musicais.


Quer mesmo saber? Vamos lá...

domingo, 15 de maio de 2011

Quatro argumentos pela legalização da maconha, do ponto de vista de um não-usuário

Encontrar textos, frases e músicas defendendo a descriminalização e/ou a legalização completa da maconha é relativamente simples. Basta uma googlada rápida para cair em meia dúzia de sites, blogs e letras de músicas sobre o tema.

O problema de verdade é que, em vez de discussões e argumentações sérias, o mais comum é encontrar frases de efeito e bordões bobos falando coisas de "cabeça ativa" e bobagens similares. Pior ainda, normalmente são sites de notórios usuários viciados auto-declarados, o que costuma levantar suspeitas sobre a real isenção da pessoa que está argumentando.

Apesar de ad hominem ser uma forma tosca de argumentar, não dá pra negar que a imensa massa de semi-analfabetos funcionais costuma considerá-la válida. Então nada melhor que descrever alguns argumentos a favor da dita legalização, apresentados por alguém que não é usuário nem de álcool.